Adquirentes pagam taxa a cada transição efetuada, porém visam compensar essa perda com o volume de vendas.

A competitividade será ainda maior nesse ano de 2020: os encarregados adquirir pagamento com cartões nas maquininhas precisarão sobreviver à um ambiente com cada vez mais adversários, eles esperam que o volume de compra de novos clientes supra os ganhos reduzidos que serão obtidos devido à baixa dos preços.

Segundo Fábio Winter, especialista em pagamentos, haverá coação nas taxas neste ano, no entanto, em menor tempo em comparação ao ano passado. Sendo assim, explica que o ganho poderá ser adquirido a partir do volume de transações e das ofertas que oferecerão aos consumidores. Analistas indicam que, em média, as empresas Cielo, PagSeguro e Stone (capital aberto) tem um “take hate” que deverá cair em 10% neste ano de 2020, correspondente ao mesmo ritmo de queda em 2019.

Acredita-se que a promoção levando em conta zero taxa da maquininha em volumes de até R$ 10.000,00 é agressiva assim como a oferta anterior que considerava um valor menor. Estima-se que cresça o número de consumidores visando contribuir com as receitas desse ano. Parte da competição virá da queda dos juros que será gerada, que consequentemente, trará a redução de spreads adquirido com o histórico comércio das maquininhas. Espera-se que algumas empresas sejam capaz de compensar a baixa de preços com maior volume de vendas, pois mais considerável que o retorno da aquisição do equipamento, será a relação duradoura com o varejista. Entretanto,  importante lembrar que esse relacionamento de tornar-se um canal para os clientes manterá a coerção de custos e despesas intensificando a competitividade.

De acordo com apuração do Jornal “O Valor Econômico”, o foco da empresa Cielo que antes era a participação de mercado, agora está voltado à rentabilidade, aos resultados. Os microempreendedores começaram a ser alvo de empresas no mercado, tendo o modelo de venda de maquininhas lançado pela PagSeguro, ao invés de apenas locação. Em meio às estratégias de várias empresas de meios de pagamento, ela tem respondido à toda essa competitividade através de ações comerciais e marketing, no qual tem obtido considerável retorno.

 

Fonte: O Valor Econômico, por Flávia Furlan.
http://www.museudocartao.com.br/novidade_interna.php?id=966