Segundo Rubens Novaes (presidente do Banco do Brasil), a evolução de open bankings e fintechs vão insistir na privatização do banco público em médio prazo, pois à medida que acirrar a competitividade no mundo bancário vão se acentuar as desvantagens em ser banco público, e a privatização não teria trama algum se a hipótese fosse considerada desde já. Porém, já adianta que essa questão está acima de nós e ainda precisa ser aprovada pelo presidente da república Jair Bolsonaro, uma vez que a grande maioria da Câmara já concorda com essa ideia. Acredita-se que seria algo bom, pois aumentaria a flexibilidade e eficiência dando-lhes chances de passar os concorrentes privados.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo